quarta-feira, 12 de abril de 2017

Saiba o que saiu na Mídia



FOLHA DE SÃO PAULO

- CAPA – Manchete principal: “Oito ministros, comando do Congresso e 24 senadores são investigados no STF”

- EDITORIAL – “Sem maniqueísmo” narra o imbróglio gerado por Fernando Holiday que fez uma espécie de blitz nas escolas para fiscalizar a propagação de ideologias de esquerda pelos professores. A Folha afirma que o debate é relevante, que há doutrinação indevida nas escolas e que dada a maneira como se formam os professores não é surpreendente que a doutrinação ocorra. No entanto, há uma ponderação, lembra-se que não é possível descrever um processo histórico sem carga moral e que as leis que estão propostas na Escola sem partido são repressivas e retiram a autonomia do professor. O jornal sugere que para eliminar a doutrinação é preciso investir na formação do professor.

· EDITORIAL – “Sobram dólares” afirma que diferente de outras crises, nessa não há escassez de moeda estrangeira para fazer frente a compromissos internacionais. Segundo o jornal, essa sobra de dólares tem sido suficiente para permitir que as empresas brasileiras honrem suas dívidas externas sem pressionar as cotações. A Folha defende que falta agora assegurar a solvência interna do governo em moeda nacional, o que dependerá da aprovação das reformas.

· COLUNA PAINEL – LISTA DO FACHIN: Líderes partidários acreditam que a divulgação dos nomes aumenta o risco de novos acordos de delação premiada mirando PT e PSDB.

· COLUNA PAINEL – ANTONIO PALOCCI: Na cúpula do PT, uma delação de Palocci é vista como algo capaz de mudar o patamar da crise. A coluna cita a fala do dirigente de um partido, que não era da base durante os governos Lula e Dilma, sobre o potencial da delação de Palocci: “Eu não conheço o sistema financeiro. Ele conhece.” Um antigo auxiliar de Palocci afirma que se ele falar, o endereço do incêndio político muda de Brasília para as avenidas Paulista e Faria Lima em São Paulo que abrigam os maiores bancos e empresas do país.

· COLUNA PAINEL – PSDB: Integrantes do partido revelaram que já estão procurando advogados à espera do que será feito por Paulo Preto. Descrevem o ex-dirigente da Dersa como organizado e cercado de documentos.

· “Fachin determina inquéritos contra ministros e parlamentares” – Foi determinada abertura de inquérito contra oito ministros de Temer, 24 senadores e 42 deputados. Ainda serão investigados no STF um ministro do TCU, três governadores e 24 outros políticos e autoridades. A reportagem destaca que Aécio Neves e Romero Jucá serão investigados em cinco inquéritos cada. Já Renan Calheiros, em quatro. Entre os ministros de Temer estão Eliseu Padilha (PMDB), da Casa Civil, Moreira Franco (PMDB), da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Kassab (PSD), da Ciência e Tecnologia, Helder Barbalho (PMDB), da Integração Nacional, Aloysio Nunes (PSDB), das Relações Exteriores, Blairo Maggi (PP), da Agricultura, Bruno Araújo (PSDB), das Cidades, e Marcos Pereira (PRB), da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. Estão citados ainda os governadores dos Estados de Alagoas, Renan Filho (PMDB), Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD) e Acre, Tião Viana (PT). Michel Temer é citado mas não será investigado por causa da “imunidade temporária”. Segundo a reportagem, Lula e Dilma não são citados por não terem prerrogativa de foro.

·  “Padilha e Moreira são investigados sob suspeita de cobrar propina” - Segundo o pedido feito pela Procuradoria-Geral da República, há indícios de que Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) tenham cometido os crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e corrupção ativa. Fachin autorizou também a abertura de um inquérito para investigar Padilha ao lado do deputado Marco Maia (PT-RS). Serão investigados ainda os ex-presidentes da Trensurb (Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre) Humberto Kasper e Marco Prates da Cunha, além do ex-ministro Paulo Bernardo.

·  “STF abre inquérito contra Eunício e Serra e mais 27 senadores” - "São relatados pagamentos de R$ 7 milhões, sendo R$ 4 milhões destinados aos senadores da República Romero Jucá e Renan Calheiros, atuando o primeiro em nome do segundo, R$ 2 milhões destinados ao senador da República Eunício Oliveira, R$ 1 milhão ao deputado federal Lúcio Vieira Lima e R$ 100 mil ao deputado federal Rodrigo Maia", afirmou Fachin em sua decisão, segundo o jornal.

· “Rodrigo Maia e Cesar Maia tornam-se alvos de investigação na Lava Jato” - Segundo uma das delações, não especificada pela PGR, Rodrigo Maia solicitou e recebeu R$ 350 mil como ajuda para campanha eleitoral em 2008. Porém, naquele ano, nem o parlamentar nem Cesar Maia foram candidatos a cargos eletivos. Em 2010, Rodrigo Maia teria solicitado um novo repasse, dessa vez para a campanha de seu pai ao Senado. Foram pagos R$ 600 mil, de acordo com depoimentos.

·  “Base aliada de Temer é maioria na lista de Fachin; PT é o mais citado” - Os partidos da base aliada do governo Michel Temer congregam 65% dos nomes. São 13 os partidos da base que aparecem na lista –PMDB (16 filiados investigados), PSDB (13), PP (9), DEM (6), PSD (6), PSB (4), PR (4), PRB (3), PTC (1), SD (1), PPS (1) PMN (1) e PTdoB (1). No entanto, o PT, principal partido de oposição, é o grupo com maior número de políticos investigados – são 20 no total. Da oposição, aparece também o PCdoB, com outros três nomes envolvidos. Entre os 24 senadores citados na lista do ministro do STF, a maior parte é filiada ao PMDB (7), ao PSDB (6) e ao PT (4). Já entre os deputados federais, os partidos mais citados são: PT (11), PP (5) e DEM (5).

·  “Odebrecht teria pagado R$ 50 mi a grupo com Jucá e Eduardo Cunha” - De acordo com pedido de abertura de investigação autorizado pelo Supremo, o grupo Odebrecht havia ganhado licitação para a construção da usina, mas "estava sendo alvo de ataques provenientes do governo federal". O grupo teria, então, procurado o então deputado federal Eduardo Cunha, "visto como pessoa de forte influência em Furnas", a estatal responsável pela usina. Segundo a delação da Odebrecht, após diversas reuniões, sem data especificada, foi discutido o repasse de R$ 50 milhões ao grupo de parlamentares que atuariam em favor dos interesses da construtora, formado por Cunha, Jucá, Arlindo Chinaglia (PT-SP), a época presidente da Câmara, e Sandro Mabel (PMDB-GO), atualmente sem mandato.

· “Ministro do TCU recebeu R$ 350 mil, afirmam delatores da Odebrecht”;

· “Aécio é alvo de cinco inquéritos por corrupção e caixa dois, diz jornal”

· “Alckmin usou cunhado para receber R$ 10,7 milhões, dizem delatores” .

·   “Fachin manda arquivar sete pedidos relacionados à delação da Odebrecht” - A lista de arquivamento de Fachin inclui os ministros Antônio Imbassahy (Secretaria de Governo) e Raul Jungmann (Defesa), os deputados Benito Gama (PTB-BA), Cláudio Cajado (DEM-BA) e Orlando Silva (PCdoB-SP) e o senador Romário de Souza (PSB-RJ).

·  “Fachin remete a instâncias inferiores petições contra FHC, Lula e Dilma” – Sobre FHC consta o pagamento de vantagens indevidas, não contabilizadas, no âmbito da campanha eleitoral de FHC à Presidência da República, nos anos de 1993 e 1997. Dilma aparece em duas petições, uma ao lado de Edinho Silva, que foi tesoureiro da campanha da ex-presidente à reeleição, em 2014. Na outra, estão Lula e os ex-ministros da Fazenda Antonio Palocci e Guido Mantega. Lula é objeto no total de seis petições. Em uma delas está acompanhado de Jacques Wagner (PT-BA), ex-governador da Bahia. Em outra petição, remetida ao juiz Sergio Moro, Lula é alvo ao lado de Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula.

·  “FHC recebeu vantagens indevidas em eleições, diz dono da Odebrecht” 

·   “Fachin manda a Moro investigações que envolvem Lula e parentes”

·   “Temer tenta se distanciar da crise e pedirá 'defesa individual' de ministros”

·  “Fazenda acredita que divulgação de lista de Fachin deve atrasar reformas” 

· “Paes recebeu R$ 16 mi para 'facilitar contratos' olímpicos, dizem delatores”

·  “Operação da Polícia Federal prende ex-secretário de Saúde de Cabral no Rio”

· “Nova regra de transição na Previdência pode beneficiar trabalhador jovem”

·  “Com plenário esvaziado, Câmara adia votação de socorro a Estados”

· “Pontos alterados na Previdência têm de ser compensados, diz Meirelles”

·  “Reforma trabalhista revogará 18 pontos da CLT, diz relator”

. “Governo permitirá que estrangeiros detenham 100% de empresas aéreas”

O GLOBO
- CAPA – Manchete principal: “Sobrou para todos”, seguida da linha fina “investigação sobre políticos e autoridades citados pela Odebrecht abre chance de passar a política a limpo”.

- “NA CÚPULA Lista inclui os ministros mais próximos de Temer” – A reportagem destaca que quase 30% dos ministros estão na lista do Fachin. Os casos de Padilha e Moreira estão entre os mais delicados porque eles são acusados num inquérito que envolve o próprio Temer. Rodrigo Janot foi categórico ao falar da atuação dos dois em nome do presidente na solicitação “de recursos ilícitos”.
·  “PT tem 20 políticos investigados e lidera lista”

· “MANDATÁRIOS - Todos os ex-presidentes pós-ditadura são citados” -  A delação da Odebrecht alcançou os cinco ex-presidentes da República vivos: Dilma Rousseff (PT), Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Fernando Henrique Cardoso (PSDB), Fernando Collor (PTC) e José Sarney (PMDB). Apenas Collor tem direito ao foro especial no Supremo Tribunal Federal (STF), onde foi aberto mais um inquérito contra ele. Dos governadores citados pelos ex-executivos da Odebrecht, nove poderão ser investigados pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que é o foro indicado para processar ocupantes do cargo. Além de Pezão, estão nessa lista Geraldo Alckmin, de São Paulo; Paulo Hartung, do Espírito Santo; Fernando Pimentel, de Minas Gerais; Beto Richa, do Paraná; Flávio Dino, do Maranhão; Marconi Perillo, de Goiás; Raimundo Colombo, de Santa Catarina; Marcelo Miranda, de Tocantins. Outros três governadores citados já estão na lista de inquéritos abertos no STF por Fachin: Renan Calheiros Filho, de Alagoas; e Tião Viana, do Acre; Robinson Faria, do Rio Grande do Norte.

·   “Políticos refutam ligação com desvios”

·  “Esquema de corrupção na Saúde desviou até R$ 300 milhões” – Governo Sérgio Cabral

·     “’ Cabral roubou em todas as áreas’”

·     “Carandiru: 74 policiais vão a novo julgamento”

·  EDITORIAL – “Ameaça a juízes é ataque direto ao Estado” cita exemplos de como a Lava Jato e os braços que saíram dela mexem com pessoas poderosas, o que tem gerado o aumento de segurança no entorno dos juízes e que é normal que forças subterrâneas se agitem diante dessas ameaças. E de repente, o texto cai para o caso Celso Daniel, dizendo que ele até hoje levanta dúvidas e que há medo de que um dos petistas preso fale alguma coisa. O texto finaliza dizendo que, enquanto isso, Marcelo Odebrecht confirma que Lula é o “amigo” da lista da Odebrecht.

·  “Queda de braço na Previdência”
·  “Reforma trabalhista terá artigo contra ‘pejotização’”
·  “Especialistas elogiam mudanças na CLT”
· “Governo seleciona 12 áreas do pré-sal que serão leiloadas até 2019”

-   “Divulgação da lista de Fachin faz Bovespa cair 0,44%”

VALOR ECONÔMICO
· CAPA – Manchete principal: “Lista de Fachin estremece a política e embaralha e embaralha a sucessão em 2018”

· “Fiesp envia carta ao BNDES e afirma que 'melhorou o diálogo'”
·  “Subsídios ao MEI podem gerar 'esqueleto' para o governo, diz Ipea” - O aumento do faturamento exigido para adesão ao chamado Microempreendedor Individual (MEI), assim como a redução da contribuição, está desvirtuando o foco do programa, que seria a baixa renda, e pode gerar um "esqueleto" para o governo, segundo nota técnica do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea). Segundo a nota, o valor das contribuições previdenciárias não será suficiente para cobrir as aposentadorias no futuro.

·  “Para economistas, vendas no varejo cresceram em fevereiro”

·  “Governo define agenda de leilões e prevê obter R$ 4,5 bi com pré -sal em novembro” -  Ao todo, são dez licitações que vão oferecer ao mercado desde reservas em campos maduros - já com declínio de produção - até os campos em alto mar no polígono do pré-sal.

· “Planalto recua e troca MP por projeto de lei para abertura das aéreas ao capital externo”

· “Gasto com juros cai e dívida cresce mais devagar”

·  “Votação no Congresso ameaça floresta no oeste do Pará” - Uma manobra parlamentar aprovada ontem, no relatório da comissão mista do Congresso, coloca em risco 660 mil hectares de Amazônia no oeste do Pará. O texto segue agora para plenário. Se aprovado, o Ministério do Meio Ambiente pedirá veto do presidente Temer. Não é a única má notícia para a floresta. Hoje deve ir a votação outro relatório, referente a outra MP, com igual potencial de tornar a Amazônia mais vulnerável.

· “Vazamento faz STF precipitar divulgação de lista” - Depois de quase três horas de apuração desde o vazamento das decisões do ministro Edson Fachin sobre os pedidos de inquéritos feitos pela Procuradoria-Geral da República (PGR), o Supremo Tribunal Federal (STF) confirmou que o relator da Operação Lava-Jato autorizou a abertura de 76 inquéritos contra 98 políticos e pessoas relacionadas a eles com prerrogativa de foro, oito deles ministros do governo Michel Temer.

Deste total, baseado nos conteúdos das delações premiadas das empresas Odebrecht e Braskem, apenas dois permanecerão em sigilo - os outros 74 serão tornados públicos, conforme solicitado pelo procurador-geral, Rodrigo Janot.

·  “Rodada de inquéritos exclui Ciro e o beneficia para 2018” – A reportagem diz que Ciro Gomes é o menos afetado e depois dele vem Marina Silva.

·  “Ministros acusados afirmam inocência e dizem que regras foram respeitadas”

·  “Parlamentares negam acusações e minimizam crise após lista de Fachin”

·  “Delações enfraquecem governo e embaralham sucessão de Temer” – A reportagem mostra que a situação da sucessão presidencial se complicou e afirma que a operação passou uma régua no PSDB, que segundo o jornal, foi poupado no início da Lava Jato.

·  “Temer deve manter os oito ministros citados”
·  “Congresso encerra as sessões após divulgação”
·  “Listado por Fachin vai presidir conselho de ética”

· “Emílio e Marcelo Odebrecht citam repasses a Eunício e Rodrigo Maia” - O topo da hierarquia da Odebrecht mencionou em delação premiada o envolvimento dos presidentes do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) em situações de pagamento de vantagens indevidas. Ao lado de outros quatro delatores, Emílio e Marcelo Odebrecht citaram desembolsos que chegaram a R$ 150 milhões, dinheiro trocado pela aprovação de medidas provisórias no Congresso.

·  “Aécio responderá a cinco inquéritos”
·  “Investigações envolvem 36 petistas” 

·  “Odebrecht diz que pagou R$ 10,3 milhões para Alckmin” - O responsável por arrecadar o dinheiro "pessoalmente" para as duas campanhas de Alckmin, segundo as delações da Odebrecht, teria sido Adhemar César Ribeiro Filho, que é cunhado do governador de São Paulo - ele é irmão da primeira-dama Lu Alckmin.

·  “Inquérito vai investigar Aloysio Nunes e Serra”
·  “Concessão de aeroportos implica Padilha e Moreira”
·  “Lista inclui sete políticos do Rio”
· “Relator acata pedidos do agronegócio” - Atendendo a pedidos de empresas, principalmente do agronegócio, o relator da reforma trabalhista na Câmara, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), incluirá em seu parecer o fim das horas in itinere (deslocamento para o local de trabalho localizado em lugares de difícil acesso e sem transporte público regular), segundo documento a que o Valor PRO, serviço de informações em tempo real do Valor teve acesso.

A deputados tucanos, o relator também elencou uma série de mudanças que fará para coibir o "ativismo judicial". O parecer vai propor mudanças na legislação para que juízes do trabalho não possam proferir decisões que não estejam previstas na legislação trabalhista, prever uma punição para a litigância de má fé e elaborar tabela de valores para as indenizações para danos morais nas relações de trabalho.

·  “Ex-secretário de Cabral é preso por fraude em insumo hospitalar”
·  “Fachin homologou delação de João Santana um mês antes de anúncio” - A ideia era que o acordo fosse mantido sob sigilo total, mas o deslize de um candidato à sucessão de Rodrigo Janot na Procuradoria-Geral da República (PGR) acabou prejudicando o planejamento.

· ENERGIA: “Andrade Gutierrez e Cemig travam venda de Santo Antônio”
“Chinesa estuda instalar refinaria de US$ 6 bi no Ceará”

O ESTADO DE SÃO PAULO
· CAPA – Manchete principal: “A lista de Fachin”

· EDITORIAL – “Safra recorde, velhos desafios” apresenta os bons números do agronegócio brasileiro e afirma que os problemas de logística ainda pesam demais para o setor.

·  EDITORIAL – “O neoliberalismo do PT” aborda a oposição que o partido faz às reformas no Congresso. O texto diz que Lula e sua tigrada preferem fazer vista grossa ao déficit previdenciário. O Estadão diz que é uma tentativa de não enfrentar a realidade, recolhendo-se ao fantástico mundo da ideologia petista, onde “eles” são, a despeito dos fatos, os heróis do povo e quem ousa discordar do seu discurso simplista, os vilões.

O jornal alega que a realidade também chega ao PT e cita a demissão de 13 funcionários do partido em São Paulo e segue enumerando cortes de gastos no PT. O Estadão afirma que essa gestão neoliberal é motivada por uma dívida de R$ 25 milhões. Ao fim, o jornal paulista conclui que “fazer discurso populista contra o ajuste fiscal e as reformas de Michel Temer é fácil. Difícil mesmo é enfrentar a realidade das urnas e das contas. Que o eleitor não mais se engane com essa gente.”

· “Fachin autoriza inquéritos para investigar 98 nomes”
· “Procedimentos atingem ministros, parlamentares e governadores”
·  “Lista inclui presidentes da Câmara e do Senado”
·  “Padilha e Moreira ‘irrigavam’ PMDB”
·  “Citado em 2 inquéritos, Temer não é investigado”
·  “Presidente não afastará ninguém neste momento”
·  “Núcleo do esquema, PT tem 20 nomes na lista” – Apesar da manchete, o texto não traz nenhuma informação nova que mostre o PT como o núcleo de qualquer esquema. 

·  “Ex-presidente Collor é suspeito de receber R$ 800 mil”
·  “Líder do PSDB, Aécio é alvo de cinco inquéritos”
·  “Presidente do PSDB fala em desmascarar mentiras”
· “Jucá tinha relação próxima com Odebrecht, diz delator”
·  “A elite política do país está sob investigação” – O jornal coloca em duas páginas os rostos de todos os políticos que estão sendo investigados, seus nomes e os crimes dos quais são suspeitos.

·  “Investigação do STF inclui 3 governadores”
·  “Mesmo sem foro, 23 serão investigados na Corte” – O motivo é que os casos estão ligados a parlamentares.
· “Caixa 2 representa quase metade das acusações”
· “PT e PMDB lideram a lista de casos de corrupção e de caixa 2”
· “Alckmin e mais oito governadores são alvo de petições”
·   “Delação cita pedidos de Lula para filho e irmão” – A reportagem diz que, segundo os delatores, Lula teria se comprometido a melhorar as relações entre a empreiteira e Dilma Roussef em troca de apoio da Odebrecht a projetos de seu filho caçula. Segundo relatos, Lula também teria o conhecimento do pagamento de mesadas ao seu irmão, o Frei Chico.

· “Emílio Odebrecht fala em repasses para campanhas de FHC” – A reportagem diz que Odebrecht afirmou ter pago vantagens indevidas, não contabilizadas às campanhas presidenciais de FHC.

· “Lista de Fachin é teste para reformas”
· “Ex-secretário de Cabral é preso por desvios de até R$ 300 milhões”
·  “Aliado de Rodrigo Maia vai presidir Conselho de Ética”

· “Projeto de transição da Previdência terá regra de transição escalonada e ‘pedágio’ menor” – Idade mínima inicial deve ser de 52 ou 53 anos para mulheres e 57 ou 58 para homens, subindo gradualmente até atingir 65 anos para todos. Para entrar na transição, tempo de contribuição atual deve ser de 15 anos para mulheres e de 20 anos para homens.

· “Contribuição deve cair para 40 anos”

· O placar do Estadão mostra hoje 101 deputados a favor da reforma e 273 contrários

· “Projeto de ajuda a estados é adiado mais uma vez”
·          “Governo espera R$ 4,5 bi com novo leilão do pré-sal”

“Nova estimativa prevê aumento de 25% na safra”

OUTRAS MÍDIAS

- NEXO JORNAL
·  "O que há na lista de inquéritos de Fachin. E como ela atinge governo e oposição".

Ex ministro e relator da Lava Jato no Supremo, Fachin ordenou a investigação contra diversos políticos, ocasionando um verdadeiro caos em Brasília.

 ·   "Por que, pelos critérios de Temer, os ministros sob suspeita estão garantidos no cargo".

Ao menos 8 ministros serão investigados. A decisão coloca pelo menos 1/3 do alto escalão do governo sob fortes suspeitas.

 ·   "Por reforma, Temer libera verba via emenda. Como funciona essa lógica de governabilidade"
Temer despeja milhões na esperança da aprovação da reforma da previdência. 

 - BBC BRASIL
·   "Em crise com ruralistas, Kátia Abreu flerta com esquerda e critica 'reacionários'". Texto mostra a flutuação de Katia Abreu transitando por diversos meios políticos. Ela foi uma das maiores defensoras de Dilma.

 ·  "Lava Jato: 'Não temos instrumento eficiente para identificar vazamentos', diz Dallagnol".

Dallagnol afirmou que agentes públicos não vazam informações - a brecha estaria no acesso inevitável a dados secretos por réus e seus defensores.

 - EL PAÍS BRASIL
·  "Toda a cúpula política do Brasil sob a mira da Justiça". Lista de Fachin, relator da Lava Jato no STF, atinge oito ministros e quase todas as esferas de poder. 

. Ministro encaminha a outras instâncias judiciais pedidos de investigação contra FHC, Lula e Dilma

 ·  "Quem são e quais acusações que pesam sobre oito ministros de Michel Temer"

. Dos oito ministros que serão investigados, dois deles são considerados alicerces de Temer: Moreira Franco e Eliseu Padilha.

 ·  "Aécio Neves e cúpula do PSDB de São Paulo serão investigados".  Tucano, de pretensões presidenciais, teve cinco inquéritos abertos pelo STF

José Serra também consta da lista

 ·  "Caixa 2, reforma do sítio e Angola: as acusações contra Lula enviadas a Sérgio Moro".

. Fachin remete cinco acusações contra petista à Justiça do Paraná. Uma sexta vai para São Paulo.

 - DIÁRIO DO CENTRO DO MUNDO
·   "Estrela da lista de Fachin: como funcionava o esquema de Aécio na Cidade Administrativa de MG. Por Joaquim de Carvalho".

Segundo os delatores, em 2007, o tucano operou para fraudar processos licitatórios, mediante organização de um cartel de empreiteiras, na construção da Cidade Administrativa, sede do governo.

"Funcionária fantasma é investigada no Ministério da Saúde. Por Roberto De Martin"

Ela deveria ocupar uma das funções de coordenação do programa Mais Médicos, na Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES). Nunca foi vista ali.

 - TIJOLAÇO
·  "A República no Tribunal"
Divulgada a lista do ex minsitro Fachin. Aécio e Jucá são os campeões em pedidos de inquérito, com cinco para cada um. Presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Eunício de Oliveira, também estão no “listão”.

 ·  "Inquéritos – 7 : os cinco de Aécio"
Protegido há dois anos, Aécio se vê diante do que ele próprio sabia ser o dinheiro na política, que o sustenta desde que se tornou deputado federal até quando a volúpia de não aceitar o resultado eleitoral detonou a onda insana que, agora, o devora.

 ·  "Os inquéritos – 2: o caso Moreira-Padilha-Temer, o imune". Segundo relatório há fortes indícios de que Moreira Franco e Eliseu Padilha pedira dinheiro de propina para abastecer campanhas do PMDB e de Michel Temer.

·   "Os inquéritos-4: Serra e Aloysio, milhões no “Roubanel”

Há pedidos diversos detalhados no relatório, o mais vultoso deles 0,75% de todas as obras do Rodoanel. A Odebrecht diz ter pago R$ 23,3 milhões a  “Ronaldo César Coelho e Márcio Fortes, pessoas indicadas por Serra.

 - REVISTA FÓRUM
·   "Maringoni: A lista e o caos"

. A lista de Fachin é devastadora por um motivo central: é suficientemente ampla e ecumênica para não ser acusada de parcial ou unidirecional

 ·  "PSOL pede cassação de Fernando Holiday"
. Líder do MBL é acusado de divulgar o número de telefone das vereadoras Sâmia Bomfim e Isa Penna, incentivando seguidores a ofendê-las e coagi-las

 ·   "Para aprovar Reforma da Previdência, governo Temer cria Bolsa Mídia de deputados"

. Governo vai abrir os cofres para rádios do interior: medida  faria com que sua mensagem chegar aos rincões e ajudaria a conter críticas à Previdência e faria ainda um gesto político para contentar parte de sua base política.

 - VIOMUNDO
·   "Fachin manda investigar 9 ministros de Temer, 29 senadores, 42 deputados e 3 governadores; veja lista divulgada pelo Estadão".

. Lista do ex ministro do STF coloca em pânico o cenário político nacional. 9 ministros de Temer serão investigados. 

 ·   "Previdência: Temer vai comprar apoio de mídia e parlamentares com publicidade; ‘mata dois coelhos com uma cajadada’, diz auxiliar"

Temer irá despejar milhões com publicidade nas rádios: abafa o debate sobe a reforma da previdência e agrada a usa base de governo.

 ·   "Veja o desconforto visível de Moro com perguntas sobre Aécio, vazamentos e abusos".

Vídeo mostra trechos de entrevista para BBC em que Moro se mostra impaciente quando abordado sobre os vazamentos seletivos e sobre a sua parcialidade na condução da Lava jato.

 - IMPRENÇA

·   "NEM PED NEM CONGRESSO: PT PRECISA É DE GENTE"

Texto faz uma análise da atuação do PT nos últimos anos e afirma que são necessárias reformas estruturais dentro do partido.


Fonte:
http://www.fpabramo.org.br/