terça-feira, 11 de dezembro de 2012

1ª Semana do Advento



  • O Senhor esteja convosco.
  • Ele está no meio de nós.
  • Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.
  • Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: “Nem todo aquele que me diz: ‘Senhor, Senhor’, entrará no Reino dos Céus, mas o que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus. Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática, é como um homem prudente, que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos deram contra a casa, mas a casa não caiu, porque estava construída sobre a rocha. Por outro lado, quem ouve estas minhas palavras e não as põe em prática, é como um homem sem juízo, que construiu sua casa sobre a areia. Caiu a chuva, vieram as enchentes, os ventos sopraram e deram contra a casa, e a casa caiu, e sua ruína foi completa!”

  • Palavra da Salvação.
  • Glória a vós, Senhor.

    _________________________________

A Igreja celebra o Tempo do Advento, marcando o começo de um novo Ano Litúrgico. Liturgia significa “serviço”, portanto iniciamos um novo ano de serviço a Deus!

O Advento é um tempo especial em que somos convidados a uma atitude de vigilância e expectativa, preparando-nos para a celebração do nascimento de Jesus Cristo. As leituras deste tempo nos convidam à vigilância, à oração, à conversão, à abertura para ouvir e acolher a palavra de Deus como fez Maria. São textos proféticos que nos incitam à mudança de vida, à espera do Salvador que vem, vivendo hoje o mesmo espírito de preparação do povo do Antigo Testamento.

O Advento é um dos tempos do Ano Litúrgico e pertence ao ciclo do Natal. A liturgia do Advento caracteriza-se como período de preparação, como pode-se deduzir da própria palavra advento que origina-se do verbo latino advenire, que quer dizer chegar.

Advento é tempo de espera d’Aquele que há de vir. Pelo Advento nos preparamos para celebrar o Senhor que veio, que vem e que virá; sua liturgia conduz a celebrar as duas vindas de Cristo: Natal e Parusia. Na primeira, celebra-se a manifestação de Deus experimentada há mais de dois mil anos com o nascimento de Jesus, e na segunda, a sua desejada manifestação no final dos tempos, quando Cristo vier em sua glória.

O tempo do Advento formou-se progressivamente a partir do século IV e já era celebrado na Gália e na Espanha. Em Roma, onde surgiu a festa do Natal, passou a ser celebrado somente a partir do século VI, quando a Igreja Romana vislumbrou na festa do Natal o início do mistério pascal e era natural que se preparasse para ela como se preparava para a Páscoa. Nesse período, o tempo do Advento consistia em seis semanas que antecediam a grande festa do Natal. Foi somente com São Gregório Magno (590-604) que esse tempo foi reduzido para quatro domingos, tal como hoje celebramos.

Um dos muitos símbolos do Natal é a coroa do Advento que, por meio de seu formato circular e de suas cores, silenciosamente expressa a esperança e convida à alegre vigilância. A coroa teve sua origem no século XIX, na Alemanha, nas regiões evangélicas, situadas ao norte do país.




quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Futebol Máster de Tarauacá faz jogo em Rio Branco

Sairo, Assis, Edinardo, Josman, Pipi, Zé Anão e Nilson Filho


O clube "Os Velhinhos", equipe de Máster de Tarauacá, formada por ex-atletas de Tarauacá, fará neste sábado, as 9h da manhã, no clube dos oficiais da Policia Militar em Rio Branco, mais um jogo em 2012. Após vários anos fazendo história no futebol tarauacaense, os velhinhos, agora querem manter a invencibilidade e conquistar cada vez mais títulos. A equipe embarca em transporte exclusivo nesta 6ª feira, dia 7/dezembro/2012, as 10h da manhã.





Boba e Neto Moura



Lindomar Pires




Adércio Rocha


Edmar e Pires





O poder da cultura: integração Tarauacá e Feijó

Grupos se integram na praça Tarauacá


Que o esporte, a cultura popular e a música integram pessoas ninguém tem dúvida. Agora, é necessário implementar, em parceria com agentes culturais e entidades afins, políticas públicas que incentive e que valorize a cultura de nosso povo. O Governo do Acre, tem desenvolvido e dado emponderamento as entidades. Os novos gestores municipais, devem adotar essa iniciativa como exemplo.

Tarauacá ao longo de sua história tem revelado inúmeras personalidades que fazem parte do seu acervo biográfico. E aí vale apenas destacar alguns nomes na literatura, quais sejam, Leandro Tocantins, que apesar de haver nascido em Belém do Pará, seu pai mudou-se com a família para Tarauacá quando Leandro tinha apenas um ano de idade, temos a Poetisa Núbia Wanderley, escritor José Potyguara, além é claro, de outros artistas e personagens de vários segmentos da cultura, da arte e do esporte local.


O que é Cultura? Qual a sua função pública? Existe uma relação direta entre cultura e desenvolvimento? Podemos pensar em sustentabilidade sem considerar a questão cultural? Pra que serve uma política cultural? Qual a sua relação com o mercado? Como o poder público pode intervir na dinâmica cultural de uma sociedade? Como o artista e o agente cultural enfrentam os desafios da pós-modernidade?





A cultura não se limita a uma perspectiva artística, econômica ou social. É a conjugação de todos esses vetores. Daí a sua importância como projeto de Estado e sua pertinência como investimento privado. Uma política cultural abrangente, contemporânea e democrática deve estar atenta às suas várias implicações e dimensões.

A UNESCO, organismo das Nações Unidas destinada a questões de educação cultura e ciências, define cultura como “um conjunto de características distintas espirituais, materiais, intelectuais e afetivas que caracterizam uma sociedade ou um grupo social”. Esse entendimento abarca, além das artes e das letras, os modos de vida, os sistemas de valores, as tradições e as crenças.

Temos que implementar uma política que permita ao povo ter acesso aos bens culturais existentes, e permitir o acesso, não é fazer espetáculo com entrada franca, mais levar o espetáculo para junto do povo, levar às escolas, associações de bairros, rios, estradas e BR. É preciso criar um novo jeito de fazer e incentivar a cultura local. 

O poder da cultura é muito forte, temos artistas em potencial, vamos usar nosso potencial em benefício do bem comum. Podemos para esse novo tempo com a chegada do centenário de Tarauacá, juntarmos o poder público, entidades culturais, associações, empresários e personalidades do setor e  realizarmos fóruns de debates sobre o segmento. Acredito que juntos podemos apresentar os problemas e soluções para a nossa política cultural.

Pela iniciativa, parabéns aos Professores Nilson (Tarauacá) e Babita (Feijó).


Fonte de apoio: brant Associados