quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Economia da cultura: independência ou morte


O que significa produzir arte e cultura de maneira independente, num mundo tomado pela influência dos grandes conglomerados? Para um número cada vez maior de artistas-empreendedores, produzir sua obra fora da sombra das grandes marcas, do poder financeiro e dos governos, é questão de sobrevivência ética.

Estamos em meio a um processo de discussão de dois instrumentos importantíssimos que, se aprovados, darão respiro à produção independente no Brasil. O primeiro é a PLC 116, que garante espaço nas tevês para produtores audiovisuais independentes. O outro é o Procultura, que determina um percentual específico do investimento para a produção independente. Com isso, as grandes corporações até poderão investir em seus institutos e fundações, bem como em projetos do mainstream, mas terão de destinar uma parte do bolo aos independentes.

Esses dois dispositivos teriam a capacidade de alterar a realidade de quem luta por espaço num mercado cada vez mais estrangulado pela força dos grandes. Mas abre um debate importantíssimo sobre a definição de produção independente.

Não existe resposta fácil para essa pergunta. Em tese, produtor independente é aquele empreendimento desatrelado de conglomerados de mídia e entretenimento, capazes de potencializar sua performance empresarial por força e poder do grupo a que pertence. Um bom exemplo disso é a Globo Filmes, que não gozaria da posição privilegiada no mercado, não fosse o poder da Globo, com suas TVs, rádios, jornais e revistas, oligarquias regionais, Congresso Nacional.

Não podemos considerar empresas conduzidas por diretores desses grandes conglomerados como empresas independentes, se a fonte de recursos que as mantém são provenientes de grupos empresariais. O mesmo podemos dizer de institutos e fundações ligadas a empresas. Sua subordinação à corporação já determina seu caráter não-independente. Órgãos públicos e de economia mista, obviamente são inclassificáveis como independentes.

Mas a discussão não se encerra. O que podemos dizer de um coletivo de arte, uma cooperativa, um ponto de cultura, ou um grupo que mantém sua atividade exclusivamente com dinheiro público? É possível classificar como independente um empreendimento cujas contas são pagas exclusiva ou quase exclusivamente pelo governo? O tamanho do empreendimento, seu volume de faturamento, são determinantes nessa classificação?

Independência significa liberdade de criar, propor ações, conduzir processos, sem estar subordinado a agendas pré-determinadas por investidores, patrocinadores e editais. Isso só é possível com uma variedade de fontes que garanta diálogo com diversas esferas da sociedade e sistemas de poder.


A importância de uma cultura bem formada de um país não pode somente ser reduzida às questões de identidade nacional. As dimensões da economia cultural têm que ser cada vez mais levado em consideração quando se quer entender o nível de desenvolvimento nacional e internacional desses tópicos. Para que os produtos culturais como a música, os esportes, comida, negócios, literatura, etc., sejam bem-sucedidos, é necessário que eles sejam aprovados globalmente. Quando algo de um país passa a ser conhecido, o país passa a ter rendas econômicas por causa desses produtos.

O que é cultura?
Cultura é o conjunto de padrões de comportamento, crenças, conhecimentos, costumes etc. que distinguem um grupo social. São as formas ou etapas evolutivas das tradições e valores intelectuais, morais, espirituais (de um lugar ou período específico). A cultura se refere ao depósito cumulativo de conhecimento, experiências, crenças, valores, atitudes, objetos materiais, etc., por um grupo de pessoas no curso das gerações através de batalhas individuais e grupais.

O que é desenvolvimento econômico?
É o aumento na quantidade de pessoas na população nacional com baixo crescimento sustentável, de uma economia de baixa-renda para uma moderna economia e de alta-renda. Dois aspectos que contribuem para o desenvolvimento econômico através dos aspectos culturais são:

Globalização
Há muitas definições para globalização, mas, de forma geral, refere-se sobre um maior movimento de pessoas, bens, capital e ideias devido à integração econômica que é impulsionada por trocas e investimentos internacionais. É como se fosse viver em um mundo sem fronteiras.

Modernização
A modernização se refere a uma transição de uma sociedade ”pré-moderna” à uma sociedade moderna. Ela se refere ao processo no qual as sociedades crescem através da industrialização, urbanização e outras mudanças sociais que transforma completamente a vida dos indivíduos.

O desenvolvimento econômico pressupõe não apenas a existência de instituições formais com direitos provados e regras e leis, nas quais compradores e vendedores podem trocar mercadorias em um mercado, mas também pressupõe certas normas e valores sociais que promovem a troca, poupanças e investimentos. Assim, há uma dimensão cultural no processo econômico. As questões culturais têm tido uma grande variedade de definições, mas ela será usada aqui, para significar o compartilhamento informal de valores, normas, comportamentos que caracterizam as sociedades humanas.

Comportamento cultural e econômico
Em geral, a cultura tem afetado o comportamento econômico em pelo menos quatro maneiras:
1. através do impacto na organização e produção;
2. através das atitudes diante do consumo e do trabalho;
3. através da habilidade de criar e administrar instruções;
4. através da criação de redes sociais.

A cultura realmente importa nas questões de desenvolvimento econômico e governamental, desenvolvimento das instituições de assistência. A inclusão de análises e mudanças culturais na já pronta mistura de política e projetos, pode significar a aceleração do ritmo do desenvolvimento econômico.


Fonte: cultura e mercado

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Programa gradual de caminhada: formula básica

A fórmula básica para calcular as frequências cardíacas mínima e máxima para um treinamento aeróbio eficaz diz que elas devem ficar entre 60% e 90% da Freqüência Cardíaca Máxima.

A Frequência Cardíaca Máxima pode ser calculada genericamente subtraindo-se a idade do número 220.
220 – idade = FCMax.
Faixa Ideal de Treinamento ou Faixa Alvo de Treinamento (FAT): entre 0,6 e 0,9 da FCMax., ou seja:
FAT (0,6 X FCMax.)
FAT (0,9 X FCMax.)
Para um indivíduo de 35 anos, essa Faixa Alvo de Treinamento seria:
220 – 35 = 185bpm* - (*) bpm = batimentos cardíacos por minuto
FAT = 0,6 X 185 = 111 e 0,6 X 185 = 166
logo, FAT é = 111 e 166 bpm
Essa é considerada uma fórmula bem conservadora, que deve ser utilizada principalmente para indivíduos sedentários e/ou iniciantes.
Algumas orientações

. Faça avaliação física, médica e nutricional antes de iniciar qualquer atividade física.

. Os tênis devem calçar bem e serem confortáveis. Não os use novos nem velhos demais.

. Use roupas leves, evitando roupas novas e apertadas.

. Corra no seu ritmo, não tente acompanhar outros corredores mais rápidos.

. Beba água antes, durante e após o treino, não espere sentir sede, pois aí você já estará desidratado.

. É essencial alongar-se antes e, principalmente, depois do treino.

. Seja qual for o seu objetivo, procure viver uma vida normal e saudável. Nada em exagero ou extremo será produtivo.

. Se não conseguir completar o treinamento do dia, não desanime, repita-o no próximo dia!

. Se o treinamento está muito fácil, você avança alguns dias na planilha.

. Durma. A necessidade varia de acordo com o indivíduo, mas tenha certeza de que está sendo o suficiente para se recuperar.

. Não tente mudar sua rotina de uma só vez. Tente incorporar as suas mudanças aos poucos. Sua dieta, treinamento, descanso e tudo mais devem ser bem estruturados para que você solidifique um novo estilo de vida. A pressa não levará a nada, somente à frustração.


Lembre-se, fazer atividade física requer disciplina, vontade e metas. Ela deve fazer parte da sua vida diária.

Programa Gradual de Caminhada
 
Dias
Aquecimento
Exercício
Relaxamento
Tempo total
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 5 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
15 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 7 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
17 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 9 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
19 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 11 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
21 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 13 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
23 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 15 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
25 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 18 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
28 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 20 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
30 minutos
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 23 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
33 minutos
10ª
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 26 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
36 minutos
11ª
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 28 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
38 minutos
12ª
semana
Ande normal durante 5 minutos
Caminhe rápido durante 30 minutos na FCMax
Caminhe mais devagar durante 5 minutos
40 minutos

Faça as atividades físicas pelo menos 3 vezes por semana


quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Era escravo do povo.


"(...) E aos que pensam que me derrotaram respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo de quem fui escravo não mais será escravo de ninguém. Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue será o preço do seu resgate. Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora vos ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na História." Rio de Janeiro, 24 de Agosto de 1954 - Getúlio Vargas

A polarização na crise que desembocou no suicídio do Getulio foi a que comandou a história brasileira desde 1930 e, de certa forma, continua a polarizá-la ate hoje. Getulio foi o estadista que colocou as bases da construção de um Brasil nacional, popular, democrático, quebrando a espinha dorsal das oligarquias agrário-exportadoras, que mandavam no pais ha séculos. E isto não lhe perdoaram nem essa direita radicada aqui, nem os EUA.

A crise de 1954 se deu em torno de denúncias de corrupção atribuídas ao governo, mas não era preciso olhar muito a fundo a situação para saber que o elemento estratégico fundamental do segundo governo do Getulio foi a insistência na existência de petróleo no Brasil – contra a posição de Rockfeller e dos EUA – e a fundação da Petrobras, no bojo da campanha “O petróleo é nosso”, levada a cabo pelas forcas populares, especialmente sindicatos e movimento estudantil.

Com tantos ditadores corruptos vinculados aos EUA, se concentraram na luta contra o Brasil e a Argentina, pelas lideranças nacionalistas desses países e pelo potencial econômico e politico dos dois países.

A direita – o tucanato da época – se concentrava no tema da corrupção agregando setores de classe media do centro e sul do país, tentando se contrapor ao enorme apoio popular que as políticas econômicas nacionalistas e sociais populares do governo. Por isso a direita perdia todas as eleições. Apelava então para os quarteis, buscando, desde 1945, quando fundaram a Escola Superior de Guerra – Golbery e Castello Branco entre eles – e foram os representantes aqui da Doutrina de Seguranca Nacional, promovendo tentativas de golpe ao longo de toda a década de 1950 até conseguirem em 1964.

Em 1954, Getulio impediu, num dia como hoje, 24 de agosto, que trinfassem entregando sua vida e revertendo uma situação armada para derrubá-lo e instalar governos repressivos e entreguistas, como os da ditadura militar.

A releitura de 1954 ajuda a pensar a historia brasileira desde então. As bandeiras da direita e da esquerda seguem similares. O denuncismo moralista e golpista de um lado, a defesa dos interesses nacionais e sociais, de outro. Setores conservadores de um lado, setores populares de outro.

Vale a pena a releitura da Carta Testamento do Getulio. Ela dá sentido à continuidade da história do movimento popular brasileiro desde 1930 até hoje, 80 anos depois, e projetado no futuro do Brasil no novo século. A grandeza que Lula conseguiu ter como presidente veio, em boa medida, dessa compreensão.

Para a história

Pressionado pelas Forças Armadas, durante reunião ministerial realizada na madrugada de 23 para 24 de agosto, Vargas se viu confrontado com a eminência da renúncia ou deposição, e suicidou-se com um tiro no coração, deixando uma carta-testamento em que acusava os inimigos da nação como os responsáveis por seu suicídio.

Existem duas versões da carta de Getúlio Vargas: uma manuscrita, bastante concisa, e outra mais longa, datilografada, que foi distribuída para a imprensa como a mensagem oficial do político ao povo brasileiro.
A versão datilografada é atribuída ao jornalista José Soares Maciel Filho. De fato, Maciel Filho confirmou à família do presidente que datilografou a versão lida para a imprensa, mas nada disse sobre tê-la modificado.
VERSÃO MANUSCRITA: “Deixo à sanha dos meus inimigos, o legado da minha morte. Levo o pesar de não ter podido fazer, por este bom e generoso povo brasileiro e principalmente pelos mais necessitados, todo o bem que pretendia. A mentira, a calúnia, as mais torpes invencionices foram geradas pela malignidade de rancorosos e gratuitos inimigos numa publicidade dirigida, sistemática e escandalosa.
Acrescente-se a fraqueza de amigos que não defenderam nas posições que ocupavam à felonia de hipócritas e traidores a quem beneficiei com honras e mercês, à insensibilidade moral de sicários que entreguei à Justiça, contribuindo todos para criar um falso ambiente na opinião pública do país contra a minha pessoa.
Se a simples renúncia ao posto a que fui levado pelo sufrágio do povo me permitisse viver esquecido e tranqüilo no chão da pátria, de bom grado renunciaria.
Mas tal renúncia daria apenas ensejo para, com mais fúria, perseguirem-me e humilharem-me.
Querem destruir-me a qualquer preço. Tornei-me perigoso aos poderosos do dia e às castas privilegiadas.Velho e cansado, preferi ir prestar contas ao Senhor, não dos crimes que não cometi, mas de poderosos interesses que contrariei, ora porque se opunham aos próprios interesses nacionais, ora porque exploravam, impiedosamente, aos pobres e aos humildes.
Só Deus sabe das minhas amarguras e sofrimentos. Que o sangue dum inocente sirva para aplacar a ira dos fariseus.
Agradeço aos que de perto ou de longe me trouxeram o conforto de sua amizade. A resposta do povo virá mais tarde…".
CARTA DATILOGRAFADA: “Mais uma vez as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se e se desencadeiam sobre mim. Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam; e não me dão o direito de defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes.
Sigo o destino que me é imposto. Depois de decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais, fi z-me chefe de uma revolução e venci.Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o regime de liberdade social. Tive de renunciar. Voltei ao governo nos braços do povo.
A campanha subterrânea dos grupos internacionais aliou-se à dos grupos nacionais revoltados contra o regime de garantia do trabalho. A lei de lucros extraordinários foi detida no Congresso. Contra a Justiça da revisão do salário mínimo se desencadearam os ódios.
Quis criar a liberdade nacional na potencialização das nossas riquezas através da Petrobras, mal começa esta a funcionar a onda de agitação se avoluma. A Eletrobrás foi obstaculada até o desespero. Não querem que o povo seja independente.
Assumi o governo dentro da espiral inflacionária que destruía os valores do trabalho. Os lucros das empresas estrangeiras alcançavam até 500% ao ano. Nas declarações de valores do que importávamos existiam fraudes constatadas de mais de 100 milhões de dólares por ano. Veio a crise do café, valorizou-se nosso principal produto. Tentamos defender seu preço e a resposta foi uma violenta pressão sobre a nossa economia a ponto de sermos obrigados a ceder.
Tenho lutado mês a mês, dia a dia, hora a hora, resistindo a uma pressão constante, incessante, tudo suportando em silêncio, tudo esquecendo e renunciando a mim mesmo, para defender o povo que agora se queda desamparado. Nada mais vos posso dar a não ser o meu sangue. Se as aves de rapina querem o sangue de alguém, querem continuar sugando o povo brasileiro, eu ofereço em holocausto a minha vida.Escolho este meio de estar sempre convosco. Quando vos humilharem, sentireis minha alma sofrendo ao vosso lado. Quando a fome bater à vossa porta, sentireis em vosso peito a energia para a luta por vós e vossos filhos.
Quando vos vilipendiarem, sentireis no meu pensamento a força para a reação.
Meu sacrifício vos manterá unidos e meu nome será a vossa bandeira de luta. Cada gota de meu sangue será uma chama imortal na vossa consciência e manterá a vibração sagrada para a resistência. Ao ódio respondo com perdão. E aos que pensam que me derrotam respondo com a minha vitória. Era escravo do povo e hoje me liberto para a vida eterna. Mas esse povo, de quem fui escravo, não mais será escravo de ninguém.
Meu sacrifício ficará para sempre em sua alma e meu sangue terá o preço do seu resgate.
Lutei contra a espoliação do Brasil. Lutei contra a espoliação do povo. Tenho lutado de peito aberto. O ódio, as infâmias, a calúnia não abateram meu ânimo. Eu vos dei a minha vida. Agora ofereço a minha morte. Nada receio. Serenamente dou o primeiro passo no caminho da eternidade e saio da vida para entrar na história.”

Blog Emir Sader

terça-feira, 23 de agosto de 2011

A prática de exercícios não é algo supérfluo, não é um "luxo"

Programa Saúde em Movimento - Concha Acústica Rio Branco

Hoje em dia, é lugar-comum escrever ou dizer que a prática regular de exercícios físicos traz benefícios à saúde. Observamos que os aspectos mais abordados pelos jornais e revistas dizem respeito à saúde do coração e aos benefícios estéticos e funcionais. Mas, felizmente, as vantagens são mais amplas.

Desde a antiguidade, o exercícios físico começou a ser reconhecido como uma intervenção que traria vantagens para os seus praticantes. Por exemplo, por volta de 1.550 a.c. um médico hindu chamado Susrota descreveu o uso clínico do exercício em diabéticos, ele notou que em torno da urina desses pacientes juntavam-se formigas - pela presença de glicose na urina; isso passava a não mais ocorrer quando eles eram tratados com dieta e exercícios.

Para que possamos nos beneficiar, é fundamental que a prática de exercícios ocorra regularmente, pelo menos cinco vezes por semana.

Do ponto de vista científico, as coisas começaram a ficar cada vez mais claras a partir da metade do século XX. Um estudo clássico, realizado em Londres na década de 50, observou que os trocadores dos ônibus de dois andares, que subiam e desciam as escadas diversas vezes ao dia, durante o seu trabalho, tinham menos doenças cardiovasculares do que os motoristas, que permaneciam sentados o tempo todo. Esse mesmo estudo também comparou os carteiros, que caminhavam ou pedalavam vários quilômetros por dia, durante o seu trabalho, com os funcionários das agências dos correios, que ficavam sentados a maior parte do tempo; mais uma vez, os mais ativos tinham menos doenças do coração.

Benefícios da atividade física não ficam restritos ao coração

Os benefícios dos exercicios não se restringem somente ao coração. Diversos grandes estudos científicos mostraram nas décadas seguintes, até os nossos dias, a variedade de benefícios para a nossa saúde:
- Doenças cardiovasculares: na prevenção e também no tratamento de hipertensão arterial, doença coronariana, insuficiência cardíaca e doença cerebrovascular;
- Doenças metabólicas: na prevenção e como ponto central do tratamento da síndrome metabólica, do diabetes tipo II (não-insulino-dependente), da obesidade e das dislipidemias (colesterol e triglicerídeos elevados);
- Doenças respiratórias: na prevenção e no tratamento da asma brônquica; na cessação do hábito de fumar;
- Doenças neurológicas: na prevenção e no tratamento da doença de Alzheimer e outras doenças degenerativas;
- Doenças oncológicas: na prevenção de diversos tipos de câncer, como o de mama, intestino grosso (cólon), próstata e útero;

Esses efeitos ocorrem por uma série imensa de mecanismos. Os benefícios principais não se restringem a uma menor possibilidade de desenvolver doenças. Para os que já sofrem com elas, o exercício físico serve, muitas vezes, como um excelente meio de tratamento. E, além disso, os estudos são unânimes em apontar o prolongamento da vida como um efeito inequívoco da prática regular de exercícios.

"O exercício não é vacina". Assim, para que possamos nos beneficiar, é fundamental que a prática de exercícios ocorra regularmente, pelo menos cinco vezes por semana. O exercício é como um medicamento: deve ser "administrado" na "dose" correta; se a dose for excessivamente baixa, os benefícios não aparecem; se a dose for excessiva, podem surgir os "efeitos colaterais", como lesões musculares e articulares e até a morte súbita. Desta forma, uma cuidadosa avaliação clínica e uma correta orientação são importantes para extrairmos o máximo de benefícios com o mínimo de riscos.

A prática de exercícios não é algo supérfluo; não é um "luxo", nem algo que seja reservado somente aos que pretendem benefícios de ordem estética. É um instrumento poderosíssimo que pode melhorar a saúde de todos nós. Deve ser encarado como algo tão natural como acordar, tomar banho, escovar os dentes e tomar o café da manhã. Deve ser algo que nos acompanhe por toda a vida, desde a infância até a terceira idade.

Desse modo, não somente viveremos mais, mas também viveremos melhor e mais felizes.


Portal da educação fisica

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Cor vermelha aumenta rapidez e reações físicas

"Truque" é indicado para prática esportiva de curta duração.

Um novo estudo publicado pela Universidade de Rochester, nos Estados Unidos, descobriu que as pessoas ficam mais rápidas e se sentem mais fortes quando veem a cor vermelha, mesmo sem estar cientes dos efeitos da intensificação da cor. No entanto, essa "explosão" de força e rapidez tende a ter curta duração. Isso acontece porque a cor vermelha tem o poder de aumentar nossas reações físicas, pois é vista como um sinal de perigo, afirma Andrew Elliot, professor de psicologia da Universidade de Rochester, em Nova York.

Diante da constatação, os pesquisadores concluiram que os resultados podem ter aplicações significativas para atividades esportivas cuja breve explosão de força e velocidade são necessárias, tais como o levantamento de peso.

Uma pesquisa anterior já havia mostrado que estudantes que são expostos ao vermelho antes de realizar um teste, tendem a ir mal.

No entanto, um outro estudo realizado pela mesma universidade, em conjunto com a Universidade de Munique, mostrou mais um lado positivo da cor. Homens que usam alguma peça vermelha, ficam mais atraentes aos olhares femininos.


R7

Exercício diário de 15 minutos pode render 3 anos de vida

416 mil pessoas foram acompanhadas por 13 anos. Históricos de saúde e os níveis de atividade física realizados foram estudados.

Fazer apenas 15 minutos de exercício moderado por dia pode acrescentar três anos na vida de uma pessoa, indicou uma pesquisa em Taiwan.
A maioria das pessoas tem dificuldades para manter a recomendação de 30 minutos diários de exercício, cinco dias por semana, e especialistas esperam que ao identificar uma dose menor, mais pessoas estarão motivados a levantar do sofá.
O pesquisador Chi Pang Wen, do Instituto Nacional de Pesquisa em Saúde de Taiwan, disse que dedicar 15 minutos do dia a formas moderadas de exercício, como um andar mais acelerado, poderia beneficiar a todos.
"É para homens, mulheres, jovens e idosos, fumantes, pessoas saudáveis e não tão saudáveis. Médicos, quando atendem a qualquer tipo de paciente, esse é um conselho que serve para todos", disse Wen.
Wen e seus colegas, que publicaram suas descobertas na revista médica "The Lancet", lançada nesta 3ª feira, dia 16/08/2011, acompanharam cerca de 416 mil pessoas durante 13 anos, analisando seus históricos de saúde e os níveis de atividade física realizados em cada ano.
Depois de considerar as diferenças de idade, peso, sexo e uma série de outros indicadores ligados à saúde, eles descobriram que os que faziam apenas 15 minutos de exercícios moderados por dia aumentavam a expectativa de vida em três anos, comparados àqueles que permaneciam inativos.

"Nos primeiros 15 minutos... os benefícios são gigantescos", disse Wen.
O exercício diário também está ligado à uma incidência menor de câncer, e parece reduzir as mortes ligadas ao câncer em uma em cada dez pessoas.
"Cedo ou tarde, as pessoas vão morrer, mas comparado com o grupo inativo, o grupo que faz um pouco de exercício tem uma redução de 10% na mortalidade por câncer", diz Wen.

Folha.com

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

As guerras não se evitam com adiamentos


Frase de Maquiavel contém uma sábia lição para todo o político

Esta frase de Maquiavel encerra um ensinamento político de grande importância, que tem sido confirmado pela história em inúmeras situações, nos mais variados tempos e sistemas políticos. A leitura de Maquiavel contudo deve ser feita de maneira criteriosa e não literal, sob pena de incorrer-se em erros graves.
Em primeiro lugar, é preciso ampliar-se o significado do que ele chama de guerra, para que a lição seja útil para a política que se pratica numa democracia. Por guerra deve entender-se, então, um conflito político sério e intenso que contrapõe dois adversários numa disputa decisiva (isto é uma disputa na qual o derrotado perde as condições de competitividade).
Para Maquiavel, o político lúcido é capaz de antecipar as situações de conflito.

Segundo Maquiavel, o político lúcido é capaz de prever, com a devida antecipação, estas situações de conflito que, mais cedo ou mais tarde, surgirão. Diante deste quadro há duas maneiras de lidar com o “conflito anunciado”: ganhar tempo ou tomar a iniciativa. Usando o exemplo dos romanos ele diz:
Precavidos, os romanos conjuraram sempre os perigos antes que eles aumentassem, mesmo ao custo de uma guerra, pois sabiam que as guerras não se evitam adiando-as, e se forem adiadas, beneficiarão o adversário. Guerrearam contra Felipe e Antíoco na Grécia para não ter mais tarde que lutar contra ambos na Itália. Era fácil para eles evitar as guerras, mas não o fizeram, nem deram importância à antiga máxima dos sábio dos nossos dias de que convém ganhar tempo."
Numa democracia, há sempre muitos conflitos. A maioria pode e deve ser evitada. Há, entretanto, certos conflitos que são inevitáveis.
Situações em que o conflito é inevitável
- Os adversários não admitem espaço para negociação e transigência;
- Estão estruturados sob a forma de uma relação de “soma zero”, isto é, o que um perde é exatamente o que o outro ganha;
- Nestas situações, e somente nelas, a lição de Maquiavel é clara: tentar apaziguar o adversário e ”ganhar tempo” são procedimentos arriscados porque, a qualquer momento, o adversário pode romper a trégua e assumir a ofensiva. Assim, é preferível preparar-se por antecipação, escolher o melhor momento, municiar-se dos elementos necessários para vencer, e, na ocasião certa, tomar a iniciativa.
- Exemplo claro e antológico desta lição foi a política britânica de apaziguamento de Hitler, antes da eclosão da Segunda Guerra Mundial. Diante do que era obviamente uma guerra inevitável, os ingleses preferiram “ganhar tempo” e adiar o conflito mediante concessões. Não apenas não evitaram a guerra, mas deixaram para Hitler a escolha do momento e a iniciativa, e, quando ela eclodiu, não estavam preparados para ela. 
Diante de uma guerra inevitável, os ingleses antes de serem comandados por Churchill preferiram “ganhar tempo” e adiar o conflito.


Fonte: Fundação Perseu Abramo 

Parabens ao Futsal Tarauacá: Djalma Batista é campeão

 Ser campão faz parte de um sonho

Pra quem participa de uma competição, ser campeão é o objetivo. Pra quem é atleta, ser campeão faz parte de um sonho, de um caminho que está sendo trilhado.

Disse em postagem anterior que os alunos/atletas estavam treinando fortemente em preparação para os jogos escolares em Rio Branco. Quem já participaou sabe das dificuldades, primeiro, para se deslocar até a Capital acreana, segundo, jogar, vencer e ser campeão.

Quando se faz uma análise dos talentos envolvidos local ou não, existe uma diferença entre eles na competição de modo coletivo e individual. Os atletas da capital jogam em casa, com apoio da escola, amigos e familiares, mas o nível técnico é o mesmo, os atletas de Tarauacá tem uma diferença, convivem juntos desde a infância, a vontade de vencer, os sonhos, ser reconhecido como atletas que fizeram história ganahndo de um time da capital é que faz a diferença.

Meninos eu vi. Vi todas as tardes no estádio "Naborzão" e pela manhã na praia, os treinamentos físicos feito pelo Prof. Neto Moura. Vi a dificuldade de alguns alunos/atletas em treinar sem tênis, porque não tinham. Vi o esforço de todos da escola, inclusive, o Prof. Neto, que mesmo com poucos recursos para treinamento, conseguiu preparar sua equipe para ser campeã diante dos olhos do povo acreano.

Parabéns aos novos craques, ao Gestor "Moço" que sempre incentivou as equipes e professores da Escola Djlama Batista.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Parábola da vaca


Era uma vez, um sábio chinês e seu discípulo. Em suas andanças, avistaram um casebre de extrema pobreza onde vivia um homem, uma mulher, 3 filhos pequenos e uma vaca isolada e cansada.

Com fome e sede o sábio e o discípulo pediram abrigo e foram recebidos. O sábio perguntou como conseguiam sobreviver na pobreza e longe de tudo.
- O senhor vê aquela vaca? - disse o homem. Dela tiramos todo o sustento. Ela nos dá leite que bebemos e transformamos em queijo e coalhada. Quando sobra, vamos à cidade e trocamos por outros alimentos. É assim que vivemos.

O sábio agradeceu e partiu com o discípulo. Nem bem fizeram a primeira curva, disse ao discípulo:
- Volte lá, pegue a vaquinha, leve-a ao precipício ali em frente e atire-a lá em baixo. O discípulo não acreditou.
- Não posso fazer isso, mestre! Como pode ser tão ingrato? A vaquinha é tudo o que eles têm. Se a vaca morrer, eles morrem!

O sábio, como convém aos sábios chineses, apenas respirou fundo e repetiu a ordem :
- Vá lá e empurre a vaquinha.

Indignado porém resignado, o discípulo assim fez. A vaca, previsivelmente, estatelou-se lá embaixo. Alguns anos se passaram e o discípulo sempre com remorso. Num certo dia, moído pela culpa, abandonou o sábio e decidiu voltar àquele lugar. Queria ajudar a família, pedir desculpas.

Ao fazer a curva da estrada, não acreditou no que seus olhos viram. No lugar do casebre desmazelado havia um sítio maravilhoso, com árvores, piscina, carro, antena parabólica, etc. Perto da churrasqueira, adolescentes bem vestido, forte, comemorando com os pais a anova vida.

O coração do discípulo gelou. De certo, vencidos pela fome, foram obrigados a vender o terreno e ir embora. Devem estar mendigando na rua, pensou o discípulo. Aproximou-se do caseiro e perguntou se ele sabia o paradeiro da família que havia morado lá - Claro que sei. Você está olhando para ela.

Incrédulo, o discípulo afastou o portão, deu alguns passos e reconheceu o mesmo homem de antes, só que mais forte, altivo, a mulher mais feliz e as crianças, jovens saudáveis. Espantado, dirigiu-se ao homem e disse:

- Mas o que aconteceu? Estive aqui com meu mestre alguns anos atrás e era um lugar miserável, não havia nada. O que o senhor fez para melhorar de vida em tão pouco tempo?

O homem olhou para o discípulo, sorriu e respondeu:
- Nós tínhamos uma vaquinha, de onde tirávamos o nosso sustento. Era tudo o que possuíamos, mas um dia ela caiu no precipício e morreu. Para sobreviver, tivemos que fazer outras coisas, desenvolver habilidades que nem sabíamos que tínhamos. E foi assim, buscando novas soluções, que hoje estamos muito melhor que antes.

Moral da história: Às vezes é preciso dá um passo atrás para avançar dois à frente, é preciso perder para ganhar mais adiante. É com a adversidade que exercitamos nossa criatividade e criamos soluções para os problemas da vida. Muitas vezes é necessário sair da acomodação, criar novas ideias e trabalhar com amor e determinação. Isso serve para todas as situações.

Luís Colombini

Praia: Campeão da Copa de Futebol Máster

Pequena e rodanda, difícel de controlar

A Copa de Futebol Máster foi uma demostração clara de que o esporte, principalmente, o futebol une pessoas e tem a capacidade de proporcionar emoções. Ontem, quem esteve no estádio de futebol de Tarauacá, o " Naborzão", prestigiou uma final de ex-atletas da cidade com faixa etária a partir dos 36 anos de idade. É impressionante como as pessoas se emocionam, se envolve através da torcida pelo seu time, esperando a cada jogada, um gol.

Trabalhar com esporte é uma alegria, e, apesar das dificuldades não desanimo, porque sei que deixarei para a geração presente, com possibilidade de influir para um trabalho voltado para o futuro, um legado que deverá ser contado pela história.

Na partida de ontem, o Flamengo tinha a vantagem de jogar pelo o empate. Mas, como disse, cada jogo tem sua própria história, e ontem, o Praia venceu no tempo normal de 3 X 2. Nos pênaltys, o Praia foi mais eficiente, decidiu em 4 X 2, conquistando o título da Copa de Futebol Máster 2011.

É preciso que se diga da parceria da Liga de Futebol de Tarauacá, através do Presidente Edimilson, do comprometimento da equipe de arbitragem em não faltar os jogos, aliás, apitar a copa, serviu de aprendizado para os novos árbitros do município.

Enfim, tentamos oferecer ao público alvo, uma alternativa esportiva específica, entendemos que muitas vezes a perda, a derrota gera um sentimento de revolta, raiva e entriga. Entendemos, também, que o tempo é capaz de colocar cada coisa no seu lugar, nos trazer novos ensinamentos. As dificuldades devemos transformá-las em oportunidade de crescimento. Os erros devem ser avaliados, e, após,  implementados em um novo projeto.

Copa de Futebol Máster de Tarauacá

Campeão: Praia - premiação: troféu + R$ 100,00 + medalhas para os atletas

Vice: Flamengo - premiação: troféu + medalhas para os atletas

Melhor goleiro: Raimundo: troféu

Artilheiro: Zé Anão: troféu

Realizador: Josman Neri
                
No mais, bom início de final de semana pra todos, e que todos tenham uma semana com bom final.


Assis, Velho Lima e Pedro  

 Flávio, recebe troféu de Vice

Guimarães bombeiro, Gelson, Paulo Jorge e Carlos Félix 

 Velho Lima e Manoel Monteiro, a união faz a força

Raimundo (Flamengo), premiado Melhor Goleiro da Copa 

Vei, Manel e Flávio - demonstrando fair-play 

Capitão Barão (Flamengo) recebe troféu de vice 

Comemoração 
  
Vanderlei - Esporte Nova Era, de olho no lance


quinta-feira, 11 de agosto de 2011

O cuidado com o Verão

sol de verão

O verão constitui a época do ano onde as pessoas estão mais dispostas a realizarem atividade física em busca de uma melhor estética corporal.De fato, esta postura é bastante favorável, pois o engajamento em um programa de atividade física gera potenciais benefícios à saúde. O exercício no calor requer estratégias adicionais para se evitar problemas ao funcionamento nos nossos sistemas fisiológicos.

Os problemas relacionados com o calor incluem uma série de estágios que necessitam ser reconhecidos e tratados para evitar a progressão de uma condição leve (ex. desmaio) para uma condição mais grave (ex. intermação, situação considerada emergência médica extrema cujos sinais e sintomas incluem perda da consciência, pele seca vermelho-viva e muito quente, temperatura corporal acima de 41,1ºC, pulso rápido e forte e respiração difícil).Alguns fatores estão relacionados com a gravidade da lesão induzida pelo calor durante o exercício, tais como:

O condicionamento físico: Um alto grau de condicionamento físico está relacionado a um menor risco de lesão pelo calor;
A aclimatação do indivíduo: O indivíduo acostumado a realizar exercício em ambientes quentes tem maior tolerância a essa condição e menores efeitos cardiovasculares induzidos pelo calor;
O nível de hidratação: A hidratação inadequada reduz a taxa de transpiração e aumenta a chance de lesão pelo calor;
A temperatura ambiental: O exercício em temperaturas superiores à temperatura da pele acarreta ganho de calor, por isso com relação a temperatura ambiental devemos ter alguns cuidados:
a) A vestimenta - Deve-se expor o máximo possível da superfície corporal para estimular a evaporação. Escolha materiais capazes de conduzir o suor até a superfície para a evaporação. Materiais impermeáveis à água aumentam o risco de lesão pelo calor.
b) O vento - De todos os fatores citados, o mais fácil de controlar e, deste modo, evitar problemas relacionados com o calor é a hidratação. A correta hidratação envolve estratégias antes, durante e após o exercício em ambientes quentes. Antes do exercício, o Colégio Americano de Medicina do Esporte recomenda a ingestão de 5-7ml de água por kg de peso corporal 4 horas antes do exercício, reposição adicional de 3-5 ml de água por kg de peso corporal em caso de não produção de urina ou urina muito escura.

Durante o exercício, é recomendado avaliar as diferenças de massa corporal em sessões de treino e ou competições de modo a se fazer uma reposição hídrica individualizada, repor a quantidade de água necessária para evitar uma redução superior a 2% da massa corporal, em provas longas (acima de 60 minutos), ingerir 500 ml por hora de solução de carboidratos na concentração de 6 a 8%. Depois da prova, deve se realizar refeição normal e ingestão de água além da reposição imediata de 1,5 litros por kg de massa corporal perdida.

Hipertermia
O aumento da temperatura corporal, a hipertermia, é um ponto importante a ser considerado durante a prática de atividades físicas. A maior parte da energia gerada pelos músculos é perdida na forma de calor. Correr em um ambiente quente também gera mais produção de calor, forçando o organismo no controle da temperatura. A transpiração é um dos mecanismos mais eficientes, mas fica prejudicada em locais úmidos.

Roupas Adequadas
As roupas para treinar em dias quentes devem ser curtas e folgadas, permitindo a circulação livre do ar próximo da pele e deste modo facilitando a evaporação mais rapidamente. A cor também é importante, pois roupas escuras absorvem mais os raios luminosos e o seu calor radiante, ao ponto que roupas claras refletem estes raios de calor.
Em ambientes fechados, com na academia, o ar-condicionado é outro grande aliado, pois refrigera o ar aumentando a diferença de calor do meio com o corpo e facilitando, deste modo, a eliminação do calor.

Isotônicos a toda prova
Saiba distinguir as verdades dos mitos e fazer bom uso dessas bebidas.

Suar não emagrece, é fato. No entanto, desidrata um bocado. Isso acontece porque a malhação acelera o metabolismo, que é responsável por liberar energia em forma de calor dentro do corpo.

Nesse processo, além da água, perdem-se sais minerais. É aí que mora o perigo. Durante o exercício, muitas pessoas optam pelos isotônicos e deixam a água em segundo plano, principalmente para manter a boa performance. Mas será que é a melhor escolha? Confira a seguir as respostas de especialistas, que esclarecem as dúvidas mais frequentes sobre o assunto.

P – Do que são feitas as bebidas esportivas?
R – Os suplementos repositores hidroeletrolíticos são basicamente compostos por água, uma pequena taxa de carboidratos (que varia de 6% a 8%) e minerais, como sódio e potássio. Eles possuem ainda sabores artificiais. “Como têm os mesmos componentes do plasma do sangue, os isotônicos são adequados para restaurar a hidratação do corpo”, afirma Turibio Leite de Barros Neto (SP), especialista em fisiologia do exercício.

P – Como agem no organismo?
R – Com o exercício físico, além de fabricar suor, a pessoa queima suas reservas de carboidrato para usá-las como combustível. Nessa transpiração, há perda de água e também de minerais, como sódio e potássio, nutrientes importantes para um bom desempenho. “A bebida repõe, de maneira eficiente, a água, os minerais e os carboidratos nas quantidades ideais para manter o ritmo da atividade física”, orienta a nutricionista Juliana Ribeiro de Carvalho (SP). Quem malha precisa de energia rapidamente. E os açúcares, como a glicose, suprem essa necessidade. Outro benefício dos isotônicos: o sódio presente nessas bebidas faz com que a vontade de beber não passe totalmente. “Isso é bom porque só estamos acostumados a tomar líquido quando a sede grita”, justifica.

P – O que a carência de líquidos pode causar?
R – O sintoma mais importante é a desidratação, que gera modificações no sangue – e conseqüentemente, indisposição, mal-estar e cansaço. “Num grau mais severo, o esportista pode sentir tonturas, náuseas, cãibras e até fadiga”, alerta Turibio.

P – Em que momento do exercício os isotônicos devem ser tomados?
R – A ingestão de líquidos tem que ser administrada antes, durante e depois de qualquer atividade física. “Porém, os isotônicos são mais bem aproveitados se forem utilizados no meio do exercício e no final, repondo a cada 20 minutos cerca de 200 ml do líquido”, indica Renato Lotufo (SP), fisiologista do Sport Club Corinthians Paulista.

P – Qualquer um pode beber?
R – “Para pessoas saudáveis, os isotônicos não possuem contra-indicação”, garante Turibio. O que assusta muita gente é o risco de problemas renais com o consumo freqüente por causa dos minerais. Mas de acordo com a nutricionista Juliana Ribeiro, a utilização não é nociva à saúde. “Os principais elementos presentes nessas bebidas, como cloreto, potássio e sódio, não fazem parte da formação de um cálculo renal”, explica. “Um pedaço de bolo pode conter mais sódio do que uma garrafa de isotônico”, compara Lotufo. Mesmo assim, indivíduos com problemas nos rins, diabetes, hipertensão e grávidas só devem consumir com orientação médica.

P – Os isotônicos engordam?
R – Sim, pois possuem açúcares em sua composição. São valores calóricos menores do que os contabilizados por refrigerantes, mas não são nulos: 200 ml têm cerca de 50 calorias. Para consumi-los sem se preocupar com a balança, o ideal é adequá-los a uma dieta equilibrada. Não é o isotônico que engorda, mas o cardápio que o acompanha.

P – Eles podem substituir a água durante a atividade física?
R – Existem divergências. Para alguns especialistas, se o exercício não se estender por mais de 60 minutos, a água é suficiente. “Em atividades de pequenas durações, ela hidrata bem o organismo, já que não há perda elevada de minerais”, defende Lotufo. No entanto, há quem discorde. “Não tem uma regra. Tudo depende do calor, do tipo de exercício e do perfil da pessoa. Nesse sentido, os isotônicos também podem ser usados para repor os nutrientes em atividades mais curtas”, avalia Turibio.

P – É verdade que são absorvidos rapidamente?
R – De certo modo, sim. “A água costuma ser assimilada sem gasto de energia. Mas a sua combinação com o carboidrato, por motivos fisiológicos, acaba acelerando o processo de absorção”, conclui a nutricionista. É por isso que a sensação de peso no estômago é menor em quem consome as bebidas isotônicas durante a malhação.

P – Os energéticos vendidos em casas noturnas são considerados isotônicos?
R – Não. Esses líquidos, além de carboidratos, possuem cafeína, substância estimulante do sistema nervoso central.

P – A água-de-coco é um isotônico natural?
R – De fato ela possui uma composição rica em água, minerais e carboidratos. Só que, dependendo da época e da maturação do coco, a concentração do açúcar da fruta pode oscilar, fazendo com que sua semelhança com o isotônico industrializado também varie.

Bebida turbinada
Existem isotônicos que possuem mais carboidratos na fórmula. Por conterem uma porcentagem maior desse nutriente, ajudam na recuperação do organismo. Mas, diferentemente dos convencionais, devem ser ingeridos cerca de duas horas antes ou logo depois da atividade, para não pesar no estômago ou atrasar a hidratação durante o exercício. Vale lembrar que, na mesma medida em que apresentam uma quantidade maior de carboidratos, também proporcionam mais calorias.


Fonte: blog fisiologiadoexercicio