segunda-feira, 4 de junho de 2012

Dia Internacional do Meio Ambiente: Preservar a vida todos os dias



Olhando as notícias que aparecem nos variados meios de comunicação, temos a impressão de que a preocupação com a ecologia é algo antigo. Já estamos quase acostumados a ouvir falar de queimadas, derramamento de óleo, poluição de rios, extinção de espécies... Isso tudo ficou muito "natural" na contemporaneidade.

O meio ambiente, no entanto, é um tema relativamente novo nas discussões mundiais. Em 1866, o biólogo alemão Ernst Haeckel criou a disciplina que estuda a relação dos seres vivos com o meio onde vivem, chamando-a de “ecologia”. Porém somente na metade do século 20 as autoridades começaram a debater o assunto, que começou a ganhar força à medida que a humanidade foi percebendo o estrago que estava causando à sua própria casa.

Em 1972 aconteceu em Estocolmo, na Suécia, a primeira conferência internacional sobre meio ambiente promovida pelas Nações Unidas. Lá, entre muitos outros assuntos, decidiu-se estabelecer o 5 de junho como o Dia Mundial do Meio Ambiente. Em 27 de maio de 1981, por meio do decreto nº 86.028, o governo brasileiro determinou a criação da Semana Nacional do Meio Ambiente.

Nesta data, não é raro ouvirmos discursos inflamados de autoridades políticas e empresariais, prometendo uma postura séria em relação à preservação da vida. Apesar de torcermos para que tais palavras não sejam vazias, não podemos ficar parados. Pela educação de nossas crianças e jovens, podemos criar uma geração que primeiro faça algo pelo meio ambiente e deixe os discursos para depois.

Nesse processo de evolução das ideias e de comportamentos, surge a Declaração sobre o Ambiente Humano, que foi estabelecida na Conferência de Estocolmo em 1972, cujos princípios tinham o objetivo de servir de inspiração e orientação à humanidade para a preservação e melhoria do ambiente humano. Esta declaração foi seguida 20 anos depois pela Conferência do Rio de Janeiro, a Rio 92, e mais recentemente pela de Joanesburgo na África do Sul, a Rio +10.

Tudo isto mostra que ocorreu uma grande evolução da sociedade na forma de encarar os processos de desenvolvimento. Todavia, as mudanças nesta percepção ocorrem num ritmo mais lento do que seria o desejável para o não comprometimento dos nossos recursos naturais. Atualmente o chamado desenvolvimento sustentável é o único capaz de propiciar condições de preservar os recursos naturais e condições de vida saudável para as gerações futuras. Para que isto ocorra, a educação ambiental tem uma importância extraordinária, porque conscientiza e altera os padrões de comportamento do ser humano em relação à natureza.

Precisamos a todo instante colocar no ordem do dia os problemas relacionados ao meio ambiente. Já é notório que em muitos debates os problemas são apresentados, compartilhados e estudados, no entanto, em muitos casos, os interesses falam mais alto. As futuras gerações serão nossos filhos, netos, amigos e nossos vizinhos. Temos a responsabilidade de cuidar melhor do nosso meio ambiente e oferecer um mundo melhor.

Fonte: mec.gov.br

0 comentários: