quinta-feira, 27 de outubro de 2011

PT 31 anos: “É preciso, vamos!”

Era 31 de março de 2004. Um ato para relembrar os 40 anos do golpe de 1964 aconteceria no Teatro Elis Regina, em São Paulo. Lélia Abramo foi convidada, mas sentia muitas dores, provocadas por uma fratura na bacia. Ao ser indagada por Tadeu de Pietro se queria mesmo ir, ela respondeu:

- É preciso, vamos!

Lélia Abramo, uma das fndadoras do PT

A determinação de Lélia, uma das fundadoras do PT, traduz a disposição que caracteriza os militantes e o Partido dos Trabalhadores. Se era preciso ir, então o PT estava lá, apontando para frente, enfrentando os desafios e tratando de superá-los. Foram inúmeros os momentos, desde 1980, que partido e militância foram chamados a se posicionar e desfraldar bandeiras.

No momento de fundação do PT, ninguém poderia imaginar que em 31 anos o partido teria quase 1,5 milhão de militantes, 60 mil dirigentes, já teria conquistado cadeiras nas Câmaras Municipais, nas Assembleias Legislativas, na Câmara dos Deputados e no Senado Federal. Também não se poderia imaginar ali que, ao completar 22 anos, o partido elegeria o presidente da República do Brasil. E que quatro e oito anos depois, reelegeria um representante para o mesmo cargo.

O PT agregou desde o início sindicalistas, estudantes, muitos movimentos sociais e militantes dos mais diferentes segmentos e em todas as partes do país. E esses militantes foram a força motriz do partido. Durante os 31 anos essa militância vem comparecendo às urnas nas eleições e consultas internas, saiu às ruas para defender os candidatos do partido e se fez presente com suas camisetas vermelhas e bandeiras nas mãos nos momentos mais importantes da vida do país. Nos momentos de euforia, era a militância que saia às ruas para comemorar eleições ganhas, mas nos momentos de crise, foi essa mesma militância que apontou a direção que o partido deveria tomar.

Aos 31 anos, o Partido dos Trabalhadores é referência nacional e internacional. Participa de fóruns nacionais e internacionais e é convidado a apresentar sua experiência em países nos quais a esquerda procura se organizar, sempre fiel aos princípios de combate às desigualdades e à defesa da liberdade e da democracia. A solidariedade é uma das principais características que norteiam o partido e isso se refletiu também nas duas gestões do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e agora no governo da presidenta Dilma Rousseff que se inicia.

Fonte: blog de olho nas feras

0 comentários: